Uma declaração ao meu bairro Colinas de Pituaçu – Por Fernando Macedo

Tenho 30 anos de idade, moro neste conjunto residencial Colinas de Pituaçu há 26 anos, o Colinas tem aproximadamente 30 anos, ele é formado por 3 (três) associações, distribuídas por via B1, B2 e B3.

Lembro da época em que, ao olhar da janela do ultimo andar do apartamento que moro. Via apenas mato, onde hoje é denominada “Nova Sussuarana” .

Lembro-me da época em que ainda pequeno era advertido a não ir ao largo do Colinas (Praça) por conta do perigo de atravessara pista. Nesta época, ter idade suficiente para comprar o pão em “Peixoto” (nome da única padaria da época, hoje opção) era para as crianças e adolescentes um sonho.

Ah! Colinas…Onde não existia preocupações em demasia com os assaltos à carros, tráfico de drogas, ou alto índice de prostituição e promiscuidade.

Colinas…das planilhas de cimentos que eram nosso parque! Colinas da época em que andávamos pelo conjunto conhecendo nossos vizinhos até pelo nome ou no mínimo pela fisionomia. Sabíamos quando alguém não era do conjunto.

Colinas de minha adolescência tão vivenciada, da vontade estimada na busca natural de se auto-afirmar em seu meio social através de grupos, antigamente denominados de “galera”. Galera essa longe de ser nociva, tranqüila, no máximo tirar a “rixa” com dois caras no meio e quem ganhou, ganhou se cumprimentam e vai se embora, com as indiferenças tiradas. Tínhamos a galera do “Cal” aquele carinha magrinho e cabeludo, bom de “capoeira” (hoje pai de família); galera de Helder, galera de bucuiú, galera de Haley, galera de cara de pau…Éramos adolescentes divididos entre vias : B1, B2 e B3 que bastavam aparecer algum visitante malicioso que se apresentavam em meio aos “FEST IN COLINAS” e micaretas, nos uníamos de forma sincronizada como se defendendo estivéssemos a nossa pátria, a nossa terra o nosso bairro, como bons nativos do Colinas. (Eu os amo)

Colinas de seus personagens “famosos” conhecidos no cenário internacional, participante de filmes dos mais diversos, como foi o caso do saudoso: Woshington Bruno da Silva, o “mestre Canjiquinha” que apesar da capoeira ainda ser marginalizada, reunia seus jovens como arte, atividade física e disciplina. (em memória)

Ah Colinas….de suas figuras folclóricas lendárias como “Loirinho do Bahia”, de seu historiador e torcedor do Bahia Sr. Normando Reis, pai de meus também amigos Fabiano e Luciano Reis), que teve recentemente sua participação mais que protagonista do filme “Bahia minha vida”!

Colinas do chefe de torcida Railton “Raça” do Vitória, que estendia sua enorme bandeira na pista da B2 para “provocar” os torcedores do Bahia, sempre de forma sadia!

Colinas  do professor de futsal Jurandir, com sua voz rouca, orientava as crianças e adolescentes daquela época, hoje adultos e pais de família, a darem seus primeiros chutes de bola!

Colinas do Sr. Luis (técnico do União) time de futebol, que criou esperanças em tantos jovens , revelou tantos craques para Bahia e Vitória, que por sua vez, não souberam enxerga-los como mestres da bola, tais quais: Maik, Piquenopólis, Serginho, Fabinho, Choco… dentre outros mais….anônimos!

Colinas dos times: Colinense, Atlanta e Udinese…

Colinas das bandas: Filhos do som, Swing do mar, banda pirata….

Colinas dos músicos: Nenga, e Flavinho e outros anônimos….

Colinas das crianças e adolescentes, jovens, adultos e idosos, que aqui vivenciaram muitos bons momentos de diversas alegrias….

Mas lamentavelmente, Colinas de tristezas, angustias tragédias e dores….Vimos assaltos, mortes, roubos, perdas de conhecidos e desconhecidos, na sua maioria jovens…sempre tão jovens como: Bebito (esquartejado), Paulinho (com tiros)  Natã (Alcoolismo e vitimado com uma doença sexualmente transmissível) dentre outros anônimos….

Colinenses, eles eram jovens, que tão cedo se foram, seja por envolvimento nas drogas, alcoolismo, promiscuidade, eram jovens! Talvez você esteja dizendo, isso está acontecendo em todo lugar !! Sim, eu direi! Mas é como erva daninha que como câncer está se alastrando pelo mundo afora, mas cujo estou resumindo em meu “Colinas” em meu bairro, e a pergunta é: porque deixar acontecer ? o que posso fazer para mudar isso ? o que você está fazendo ? discriminando ?

Ah meu Colinas, não trata-se apenas de um problema de Governo, é também um problema “nosso”, de ordem familiar, é um problema seu, se não for, “pode” até ser!

As famílias estão se auto-destruindo, cuspindo nos princípios, invertendo valores essenciais do ser humano, estão também se contaminando através da mídia seja ela televisiva, escrita ou falada. Casamento ficou banal, se abandonam por discussões triviais no relacionamento, chutam o balde, vão embora de casa,deixando “mães”, mulheres sozinhas, com uma responsabilidade educacional, e social a mercê de qualquer fundamento doutrinário.

Ah Colinas, quantas e quantas vezes, presenciei mães de meus colegas desmaiarem com as noticias que lhe passavam como se novidade fossem, de que seu mais novo filhinho querido está nas drogas…Ah Colinas , quantas lágrimas vir caindo do rosto dos pais, quantos pais vi o machismo dominar e exterminar todo vinculo de relação afetuosa! Quantas mães sequer imaginavam ou imaginam que seus rebentos estão atolados na lama, ou mesmo sabem, mas recusam-se aceitar de forma que, “fingem” achar que nada está acontecendo nada para se auto-iludir propositalmente, como uma auto-defesa da sua alma aflita!

Certa vez encontrava-me no campo da bica chamava-se assim por conta de uma “bica” que existia próximo do campo, e ao faltar água “geral” e no conjunto, era lá que enchíamos nossos baldes.  Neste campo onde jogávamos bola tinha há um jovem fumando a “massa”, e ele, que por sinal, muito conhecido no Colinas, eu deveria ter 15 à 16 anos e ao me ver me ofereceu uma tragada, -Vai pivete ?, e prontamente respondi: Não, obrigado, não fumo! E para minha surpresa, ouvi uma das mais dramáticas e relevantes declaração: Não queira mesmo não, pois estou querendo sair e não consigo!!! Esta declaração estava revelando para mim o que de fato estava no coração de alguns jovens usuários de drogas, pois estes tais, mostravam suas limitações humanas, tinham a manifestação sincera de que tinham vontade de mudar, de parar, mas lhes faltavam forças!! Não tratava-se de um vagabundo, de um marginalzinho, “não ainda”, era notório que encontrava-se escravo. E neste caso, eu estava disposto a fazer alguma coisa!

Passei a ver não apenas um delituoso, mas uma vítima, não o eximindo de suas ações e responsabilidades, mas como resultado de ações malignas do sistema diabólico, cujo também envolve “humanidade”. Ele era mais um amigo! Sim amigo, daquele que vi crescendo ao meu redor, do convívio diário, de ver sua mãe, suas irmãs e irmãos. Estranho era entender porque me afastar deles, se era exatamente de aproximação, da compreensão e do ombro de bons amigos que ele precisava ?

Diferente do que propõe alguns “religiosos”, ao dizer que estão “evangelizando” ao reafirmar-los que eles irão para o inferno, ajudando, contribuindo e “instrumentalizando-se” como acusador pegando emprestado do diabo umas de suas maiores características “ACUSADOR”, além da própria comunidade que o discriminava, eles careciam de ouvidos disposto a ouvir suas dores, seus traumas, angustias, suas história  e causas de sua experiência inicial nas drogas.

Com este intento, de ser canal ou porta aberta para “estes jovens” nasce então a IBCP –Igreja Batista Colinas de Pituaçu, quando ainda situada na B2 em Colinas de Pituaçu.

Este é o momento em que eu devo declarar que RELIGIÃO não salva, não liberta, nada e nem ninguém. O nome “da denominação” não é o diferencial, e sim o que dentro desta “denominação” é pregado, dito, falado, compartilhado, ensinado! E fazendo referência as demais que tem o mesmo propósito evidenciado nas ações (frutos) poderia citar a (Primeira igreja Batista Renovada Colinas de Pituaçu), Assembléia de Deus e Caminho de Emaús.

 

E nesta noite prego e falo para meu bairro, minha vizinhança, onde fui criado, e o faço com muito prazer e entranhável amor, em nome do evangelho de Jesus Cristo, através do evangelho prático de ações (obras) como alguns destes pequenos gestos (in-recompensável) feito aos moradores da circunvizinhança. Onde é entregue um alimento, onde é doado roupas, onde é “COMPARTILHADO O PÃO” com intuito único de ver o sorriso de uma criança, de vestir o desnudo, de acolher o desabrigado,  de dar e não receber nada em troca, do puro gesto de retribuir o que algum dia alguém assim o fez por nós, muitos deles entregando a sua própria vida, indiretamente nos conduzindo ao encontro com Jesus e não com a “religião”, encontro com uma ressocialização, encontro com uma vida transformada, encontro com a sensação de paz interior, reconciliação com a harmonia na família e não com a religião que gera o atual “status social” encontro acima de tudo com Jesus Cristo mudando nossa história através do perdão, nos reconciliando com o nosso Criador!

Este evangelho que estamos pregando aqui no Colinas há 12 anos, não teve e não tem como base o enriquecimento ilícito e nem mesmo lícito, e sim o empobrecimento do orgulho, da depressão, do síndrome do pânico e a conquista da maior de todas riquezas: o Nome Escrito no livro da vida!

É bem verdade que éramos conhecido como a “igreja dos maconheiros”, sabe porque ? porque abrimos as portas que antes encontravam-se fechadas, principalmente para aqueles que não aspiravam aparência de “santo”. Nós líderes, até gostávamos da idéia mesmo com a irônica visão externa de que dentro de nossa “igreja” (denominação) abrigávamos eles… “…todo homem endividado, e todos os amargurados de espírito…” Sim, fazíamos isso! E ainda fazemos, sem condena-los, mas absorvendo-os, ensinado-os acima de tudo sobre o Caminho, e as conseqüências de suas escolhas!

Eles estão por aí…andando por aí, encontrados e desencontrados, convertidos e em processos de conversão, ….Ao Colinas, aos colinenses: Homens e mulheres, mães e pais, filhos e filhas, irmãos e irmãos, escutai-nos….!! Dizemos eis-nos aqui, estamos aqui sem sermos daqui, somos da casa (Colinas) anunciando uma outra casa (eternidade), “Venham, vamos falar dessas coisas. Embora seus pecados sejam como a escarlata, eles podem ser alvos como a neve.” “Todos os que têm sede, venham e bebam.”

“Venham à festa das bodas.”“Venham, sigam-me e os farei pescadores de homens.”
“Quem tiver sede venha a mim e beba.”

Deus é um Deus que convida. Que chama. Que abre a porta e acena com a mão, mostrando aos peregrinos uma mesa farta. O convite dele não é, porém, apenas para uma refeição, é para a vida. Um convite para entrar no seu reino e habitar num mundo sem lágrimas, sem sepulturas, sem sofrimentos. Quem pode entrar? Quem quiser. O convite é tanto universal como pessoal. Conhecer a Deus é receber o seu convite. Não apenas ouvi-lo, estudá-lo, reconhecê-lo, mas recebê-lo. É possível aprender muito sobre o convite de Deus e nunca responder pessoalmente a ele.

Todavia, o seu convite é claro e inegociável. Ele dá tudo e nós lhe entregamos tudo. Simples e absoluto. Ele é transparente no que pede e claro no que oferece. A decisão é nossa. Não é incrível que Deus nos dê a escolha? Pense um pouco. Há muitas coisas na vida que não podemos escolher, mas a mudança de vida e encontro com Cristo só depende de VOCÊ!

Ao meu querido bairro,

De seu nativo,

Colinas de Pituaçu

Colinas de Pituaçu

Fernando Macedo

o servo menor

“No último dia, o grande dia da festa, levantou-se Jesus e exclamou: Se alguém tem sede, venha a mim e beba” (João 7:37).

TAGS: ,

44 Comments

  1. Rafael disse:

    So tenho que falar uma coisa Deus e bom crescemos juntos que tempo bom.

  2. Priscila disse:

    Parabéns pela declaração é exatamente o que está havendo ali muito triste aqui é a mãe da filha do finado Carlos(Bebito) muito triste.

  3. Marcus disse:

    Oi Nando, lembro de vc…..n sei se lembra de mim, mas como vc citou a banda Filhos do Som e Banda Pirata (essa vc esqueceu), acredito q deva lembrar. A única coisa q tinha para acrescentar foi sobre a banda, pq o restante concordo em gênero e grau. Tempos bons q não voltam mais, mas estão gravados na memória de quem viveu (lembrando q não tínhamos toda essa tecnologia q nos seria uma “mão na roda” para registrarmos alguns desses momentos. Fiz um retrospecto ao ler esse texto, espero q essa geração possa tbm resgatar e dar continuidade a toda aquela alegria q tínhamos de morar no Colinas de Pituaçu.

    Grato pelo texto.

  4. Ana Carolina disse:

    Faltou Bispo professor de caraté que teve uma história muito bonita também! Parabéns pelo post, voltei a minha infância!!!!

  5. Yone disse:

    Adorei seu post!

  6. Helena Maria disse:

    Senhores, como foi lindo, minucioso, real e tão, tão verdadeiro o relato do pastor Fernando.
    Foi justamente assim que aconteceu e é justamente assim que está acontecendo. Não nos reconhecemos mais como nobre nativos que assim defendíamos “nossa pátria”. Hoje ninguém respeita mais os mais velhos, crianças, mulheres e nem os mais ” antigos” moradores. Hoje somos vitimas das pessoas, que na sua maioria, conviveu conosco em alguma boa fase da nossa infância. Hoje, pouco são os mais velhos que te reconhecem na rua, porque nem eles, que viram o Colinas nascer e crescer, assim como nos viram, vão mais às ruas, no extinto Peixoto, hoje Opção. Falo com toda certeza de não errar, meu pais ainda moram ai e são prova disso… Do medo e do panico que os rondam, pois ainda vivem “lá”.
    De qualquer sorte, Obrigada ao Pastor e à sua igreja que há 12 anos faz um belo trabalho de reintegração antes de tudo a si mesmo, e depois com a sociedade, família, entre outros … Obrigada mesmo!!!

  7. Moises disse:

    Caro amigo Nando…. você me faz voltar no tempo agora rpz rsrsrs. Colinas de muitas histórias.
    Saudade de vc irmão.
    Grande abraço.
    Moisés (Moska)

  8. ERLANDERSON BONFIM disse:

    Bom dia a todos e a paz do Senhor.

    Essa voz (palavras) representam a toda a nação Colinense, (os de perto e os de longe)em nossas reminiscencias nos encontramos nesse texto e revivemos o passado, recordar é viver,a nostalgia é inevitável e a viagem no tempo eminente.
    O nobre Fernando retratou em poucas linhas o que nos pegamos em horas de pensamentos, apesar de não divulgarmos nas redes sociais ou em qualquer outra forma de expressão impressa ou falada mais as lembranças pulsam dentro de nós e creio que todos que vivenciaram sua infância, “rica infância” em Colinas, corre o risco de no minimo se emocionar e os mais sensíveis se pegar com lagrimas correndo nos olhos.
    Guardo semelhantemente como Fernando muitas memorias e registros dessa vivencia nesse conjunto tão rico de historia com seus personagens permita-me falar folclóricos das galeras dos times das bandas da igreja das gatinhas nos seus bons tempos que era o sonho de consumo dos pivetes, do pagode de Vadinho dos problemáticos que eram “os muito doido” dos populares enfim foi muito bom ler essa coluna e saber que temos muitos pares em relação ao que pensamos e sentimos, me sentia as vezes únicos sobre tais reflexões mais agora creio que a muitos por ai, valeu Nando.

  9. panales disse:

    Awesome writing style!

  10. movies online disse:

    Awesome writing style!

  11. Couldn’t have said it better myself.

  12. Tomas Jeferson Marques Coutinho disse:

    Não poderia deixar de confirmar essa pura verdade, onde o nosso saudoso Fernando que naquele tempo pra mim que sou seu amigo de infância era chamado de Nando…onde também te amo meu irmão. Onde nós crescemos e tivemos uma das melhores infância que alguém poderia ter… hoje é quase impossível ver as crianças ter nossa infância, mas oro todos os dias para nosso Poderoso Altíssimo Deus que ele venha ter misericórdia e venha abençoando esse bairro tão querido por nós. Onde eu me sinto orgulhoso de ter nascido e me criado com o povo colinense. Aqui deixo uma fatia da palavra de DEUS do que é amor pelo colinas… “Quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos visitar-te?
    E responder-lhes-á o Rei: Em verdade vos digo que, sempre que o fizestes a um destes meus irmãos, mesmo dos mais pequeninos, a mim o fizestes”.( Mateus 25:39-40)
    Pois é por causa desses irmãos que hoje posso está aqui… um dia semearam a palavra do Poderoso Altíssimo Senhor Deus, em meu coração obrigado meu irmão te amo muito…sucesso Tom.

    Vós não me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vós, e vos designei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.
    Isto vos mando: que vos ameis uns aos outros.(João 15:16-17).

  13. I love reading your blog! Keep of the good work!

  14. Awesome post! I will keep an on eye on your blog.

    • Kdr disse:

      Julia,acho que e9 um misto de coisas, que ve3o adjuar:Cases de sucesso;Aperfeie7oamento do nosso discurso ( o livro ajuda aqui);Crises que ne3o tere3o solue7e3o a ne3o ser com colaborae7e3o;Formae7e3o na pf3s, nos mbas, mais livros, mais gente falando, HSM, c9poca Negf3cios;Novos ledderes chegando e assumindo fune7f5es com outras cabee7as;Gerae7e3o Y querendo um ambiente mais aberto para trabalhar.Tudo isso vai formar um caldo de cultura que vai facilitar o trabalho, mas vai demorar, sim.Ainda mais no Brasil que e9 um paeds muito autorite1rio e avesso e0 mudane7a, bastalembrar que fomos os faltimos a acabar com a escravide3o.O que je1 demonstra muita coisa na roda da inovae7e3o,concordas?bjs, valeu comente1rio;

    • John disse:

      Ontem depois da aula, vendo CQC me deaprei com o depoimento de um deputado sobre a queste3o das passagens. Enquanto um dos apresentadores do programa o questinava sobre a liberae7e3o ou ne3o das viagens para parentes, o deputado (que ne3o me lembro o nome agora) perguntou de volta o que dava o direito da imprensa de ficar ocupando os corredores do congresso, pois o povo tb pagava impostos e ne3o ia le1 Isso me chamou atene7e3o: pq ne3o vamos’ le1?Realmente estamos entrando numa nova fase de questionamentos e que trare3o possedveis mudane7as, mas diferente do filme Lutero, temos que medir bem essas reae7f5es para ne3o metermos os pe9s pelas me3os.Essa discusse3o vai longe.Bjos

  15. Awesome post! I will keep an on eye on your blog.

  16. This is by far my favorite blog! Keep up the good work!

  17. I love your writing style. I hope you decide to update this blog often!

  18. Awesome writing style!

  19. Very insightful post. I will keep an eye on your blog in the future.

  20. Fabiane Mota disse:

    Esta declaração me proporcionou viajar no tempo e lembrar a minha tão querida infância, tranqüila e feliz. Assim como o Pr. Fernando, sou filha do Colinas, dos meus 31 anos, 28 anos foram vividos neste Conjunto.
    De todos os fatos que marcaram esta história, foi emocionante ver as transformações que este Ministério (IBCP) realizou na vida de muitas celebridades colinenses, que em algum momento de suas vidas foram vítimas da influencia nociva do MUNDO. Quando vi as maravilhas de Deus na vida destas pessoas me apaixonei mais ainda por JESUS, pois, testemunhei o sobrenatural de DEUS sobre este Conjunto e creio que coisas grandes estão por vir e grandes coisas irão acontecer neste lugar. PARA HONRA E GLÓRIA DE DESU!!!!!!!!!!!!!!!!!

  21. Aurelino da Cruz disse:

    Não é difícil para mim imaginar todo esse cenário tão minuciosamente descrito. Muito preciosa essa mensagem. Glória a Deus! Percebo uma sinceridade ímpar e a integridade de um verdadeiro homem de Deus. Somente quem tem uma maturidade espiritual diferenciada é que pode escrever com tanta simplicidade verdades de um cotidiano nem tão remoto assim, e, sinceramente, eu oro a Deus para que tua voz seja ouvida nesse lugar e que muitas e muitas almas sedentas atendam ao teu apelo e sejam recebidas na glória por AQUELE por quem foste conquistado. Um grande e forte abraço fraternal. Aurelino da Cruz

  22. Elda Rabelo disse:

    Se as palavras, somente “palavras” produzissem no ser humano mudanças de comportamento e atitudes,talvez então a humanidade já tivessse sido redimida.Mas,nesta sua declaração,podemos perceber e não só perceber,mas,sentir “junto”,que a maneira de ver as coisas e fatos, e os valores atribuídos aos mesmos,faz uma grande diferênça.Dessa forma então,se todos os cidadãos,moradores de seus respectivos bairros,tivessem “esta” visão diferenciada,ou melhor,olhassem da mesma forma que você Fernando,então viveríamos com menos estress,menos violência,menos orgulho,menos inveja e outras coisas que quizerem acrescentar,e, mais harmonia,mais amor,mais solidariedade…Como diz Natanael Joaquim,fundador e presidente da ONG “Visão do Bem”:”Você tem de lutar por um sim,porque o não você já tem”.Olhar é diferente de ver,ver todo mundo ver,mas, o olhar de cada pessoa, realmente é diferente, e a diferênça está na maneira de olhar.E o que diferencia o homem de Deus? é justamente a maneira de olhar!O homem olha a fraqueza,Deus olha a potencialidade,o homem ver e valoriza a beleza exterior,o nível social, formação familiar,capacidade intelectual,os dotes físicos,mas Deus,Deus ver as motivações do coração,Deus tem sempre um olhar otimista,de amor,de misericórdia,pois a visão de Deus é diferenciada!Um forte Habacuque!

  23. Rita de Cássia Carvalho disse:

    declaração linda!! Parabens!!

  1. jobs you can do from home
  2. look these up
  3. web url
  4. you can check here
  5. you could try here
  6. get the facts

Deixe seu comentário