Sola Gratia – Por Neemias Paris

Sola Gratia

“Eis que em iniquidade fui formado e em pecado me concebeu a minha mãe.” Salmo 51 Eu fui uma criança normal. Agraciado com os cuidados de pais que protegeram seus filhos ao máximo. Mas não era bonzinho. Não tenho lá muitas histórias de peraltices cavernosas pra contar, entretanto existem algumas que preciso confessar. Eu e meu irmão brincávamos sempre em nosso próprio quintal. Isto fazia parte das regras de disciplina e proteção estabelecidas por nossos pais. Ali era nosso território sagrado e poucos tinham o direito de acessar. Um dia uma menina vizinha, cuja casa ficava separada da nossa por um ou dois terrenos baldios, resolveu nos visitar enquanto estávamos em nossas brincadeiras em volta da casa em que morávamos. Não me lembro bem as dimensões mas a largura do terreno devia ser de uns 20 metros e o comprimento de uns 40. A casa de taipa, sem reboco, media aproximadamente uns 60 metros quadrados e o restante da área ficava livre para que corrêssemos em sua volta. Então a menina vinha e não sei de que forma ela interferia em nossas atividades. Em dado momento eu decidi e combinei com Fineias que se ela viesse outra vez lhe bateríamos com um cipó. E foi o que aconteceu quando ela apareceu toda feliz correndo em nossa direção. Retrucamos correndo atrás dela com cipós retirados do quintal enquanto a pobrezinha voltava chorando para seus domínios e nós morrendo de medo das consequências íamos nos esconder sob nossas camas. Eu não pensei nesse evento durante muitos anos e não sei o nome sequer daquela criatura a quem eu gostaria de pedir perdão. A vida é assim.

 

529448_356464264424750_1734515543_n

 

 

 

 

 

 

 

 

Neemias Paris
07/12/2015

 

0 Comentários



Deixe o seu comentário.

Deixe seu comentário