Mudanças de Hábitos (?!) Por Dinho Negryne

MUDANÇAS DE HÁBITOS (?!)

Ao rever o filme Mudança de Hábito 2, musical lançado no final de 1993, estrelado por Whoopi Goldberg e a então iniciante cantora Lauren Hill, despertou-me, em princípio, apesar dos anos, para uma discussão bastante atual: A mudança nas canções cristãs ou evangélicas, hoje chamadas de Gospel.

O filme é uma sequência do lançado no ano anterior, o qual traz a protagonista Deloris, cantora secular e que se faz passar pela Freira, Irmã Mary Clarence a pedido da própria Madre Superiora com o intuito de ensinar música aos adolescentes na escola pública dirigida pela igreja.

A personagem faz questão de mostrar o desconforto com o hábito, traje usado pelas irmãs no convento, mas não se furta de enfrentar a rebeldia dos jovens, os quais são contrários à ideia de participarem de um coral de igreja.

A inicial recusa dos alunos dá-se pela natural falta de interesse por algo fora do contexto da faixa etária deles.  Os jovens cantam Rap, dançam, fazem grafite e outras atividades relacionadas à idade deles, comuns à sociedade norte-americana.  Entretanto, Deloris os convence e os prepara, inclusive para participarem de um concurso.

Em uma cena que se tornou antológica no cinema, o grupo se apresenta na igreja e canta a clássica canção “Oh Happy Day” (séc XVIII), muito entoada nas igrejas estadunidenses. A música traz versos que dizem: “Que dia feliz, quando Jesus me purificou dos meus pecados… Ele me ensinou a vigiar, lutar, orar e viver em regozijo todo dia…”.

No concurso, outros hinos são entoados de forma tradicional das igrejas, tanto evangélica quanto católica.  As belas performances dão brilho ao filme.

A canção “Joyful, Joyful”, (poema de 1907 na melodia da 9ª sinfonia de Beethoven), traz em sua letra: “Alegria, alegria, Senhor nós te adoramos, Deus de Glória”, escolhida pelos pupilos da Irmã Mary Clarence é cantada com maestria por um dos grupos participantes, fato que desanima os garotos.  Contudo, Deloris pede aos garotos que a cantem no seu próprio estilo, e estes o fazem muito bem, cantando alguns trechos em forma de Rap e dançando uma livre e peculiar coreografia.

A recorrente discussão sobre os atuais louvores tem envolvido os diversos líderes e membros das congregações e trazido diferentes opiniões a respeito, e o filme mostra como uma “modernização” ou atualização dessas canções, de fato atingem um número enorme de pessoas que ouvem as mensagens nelas trazidas e, por conseguinte são de certa forma, evangelizadas.

O padre Marcelo Rossi é um dos pioneiros em divulgar as canções de sua igreja de forma bastante popular.  Regis Danese foi um grande fenômeno, pois a execução da música “Faz um milagre em mim” rompeu várias barreiras, atingindo o primeiro lugar em rádios e programas de TV seculares, lhe rendendo, inclusive, um Grammy Latino em 2009, fato inédito no segmento, além de várias regravações em estilos diferentes.

Outro bem sucedido foi Lázaro, ex-Olodum, o qual fez um enorme sucesso com seu DVD que trazia a música “Eu sou de Jesus”, versão de “I miss her” (sinto a falta dela), canção que traz nos seus arranjos os tambores usados no Samba Reggae.

Citaríamos as emocionantes performances dos intérpretes Jamile e J. A que encantam nos programas de TV, Aline Barros e a canção “Fico Feliz” ( It makes me glad, 1972), Damares e seu grande “sucesso”: “Sabor de mel”, Bruna Karla, que na canção romântica: “Que bom que você chegou”, fala da pessoa com quem se casou, mas exaltando ser presente de Deus, e tem versos que dizem:

Vamos nos molhar na chuva do senhor. Alimentar com bênçãos o nosso amor. Fazer valer a pena tudo que a gente conquistou.

[…] Vamos juntos fazer um culto de agradecimento a Deus. (MK MUSIC, 2011).

É uma música falando da união legítima entre homem e mulher cristãos, o que não deixa de ser um testemunho de vitória desses servos e, como diz a letra, uma benção de Deus.

O grande paradoxo é que a aceitação dessas pessoas como artistas ou levitas requer grande debate ou simplesmente a interpretação de cada um.  O fato é que as mensagens falando de Cristo transcenderam os antigos cultos dominicais para muitos espaços frequentados por não convertidos.

Não se trata de “reinventar” a palavra de Deus, mas salvo alguns casos isolados, a modificação e a apropriação da música em sua essência, por si só conduz a uma evolução intuitiva por parte dos compositores.  Algumas canções citadas no texto foram escritas a mais de duzentos anos.  Novos instrumentos compelem os autores e instrumentistas a executá-las, no mínimo, de forma diferente.   A verdade é que o Neogospel está entrando em milhões de lares no país.

Mudança de Hábito 2 (Sister Act 2: Back in the Habit).

Gênero: Comédia, Musical.

Lançamento: EUA,1993.

Estrelando: Whoopi Goldberg, Lauren Hill.

Direção: Bill Duke.

Produção: Touchstones Pictures

Dinho Negryne

Dinho Negryne

Dinho Negryne é professor de Inglês, Músico, cantor , compositor, Aluno Laureado formado em Letras pela  UNIME.

0 Comentários



Deixe o seu comentário.

Deixe seu comentário