Continuam as prisões de cristãos iranianos e o confisco de Bíblias

(2º) – Uma agência de direitos humanos cristã recebeu relatos de que ”Mathias” Abdolreza Haghnejad, pastor de uma Igreja evangélica do Irã, foi preso novamente, na cidade de Bandar Anzal.

A prisão ocorreu em 17 de agosto, na cidade de Rasht, por autoridades iranianas, quando Haghnejad fazia uma visita pastoral.

De acordo com uma nota de imprensa divulgada pela Christian Solidarity Worldwide (CSW), a família de Haghnejad não tem nenhuma ideia sobre seu paradeiro. Acredita-se que ele esteja preso sem acesso a um advogado.

No início deste ano, a CSW declarou: “O pastor foi acusado e preso e, em seguida, absolvido, junto com outros dez membros de sua denominação, de atividades contrárias à ordem iraniana.” Ele havia sido preso anteriormente, em 2006.

A CSW disse que a segunda prisão de Haghnejad ocorreu durante o agravamento da pressão governamental contra os cristãos. De acordo com a agência de notícia iraniana, Mohabat News, no ultimo mês de julho, a cristã Leila Mohammadi foi presa em Teerã após ter sua casa invadida pela polícia. Os relatos indicam que ela pode ter sido transferida para a prisão de Evin. Segundo informações relacionadas a este caso, um homem foi preso temporariamente do mesmo modo.

Em agosto, uma remessa de 6.500 Bíblias foi confiscada durante o transporte, no noroeste da província de Zanjan, entre as cidades de Zanjan e Ahbar. Comentando sobre a apreensão, o doutor Majid Abhari, assessor da comissão de assuntos sociais do parlamento iraniano, disse que os missionários estão tentando enganar a população, especialmente a juventude, com uma campanha de propaganda cara.

Abhari acrescentou ainda que todas as religiões estão reforçando o seu poder para enfrentar o islã.

Essa é a última afirmação, após uma sequência de condenações de cristãos por membros do regime iraniano, que tentaram demonizá-los, alegando o apoio à conspiração ocidental e chamando-os de “parasitas”, “semelhantes aos Talibãs”.

O diretor jurídico da CSW, Andrew Johnston, disse em um comunicado à imprensa: “Tanto essas últimas prisões quanto o aumento da retórica hostil e injustificada, por parte das autoridades iranianas contra os cristãos evangélicos, são extremamente preocupantes.”

Ele acrescentou: “É vital que a República do Irã garanta o processo adequado e acabe com a prática de encarcerar pessoas simplesmente com base em sua fé, pois esta é uma clara violação do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos (ICCPR). Aqueles que, como o pastor, foram presos, devem ser julgados ou acusados em tempo hábil. Todos os detidos devem ter o direito de realizar o contato com suas famílias e advogados.”

A Christian Solidarity Worldwide trabalha pela liberdade religiosa através de ações institucionais e direitos humanos, na busca pela justiça.
Tradução: Tarcila Fonseca

Fonte: ASSIST – News Service
TAGS: , ,

0 Comentários



Deixe o seu comentário.

Deixe seu comentário